Translate

terça-feira, 28 de junho de 2022

Seja bem-vindo

Vivendo com Laringomalácia é um projeto feito com muito amor. Nosso objetivo é ajudar você a entender e aprender sobre a laringomalácia, compartilhar experiências, dar apoio e suporte as famílias que vivem com laringomalácia. Estamos aqui para você 💕

Você nos encontra também 🙌🙋
YouTube
- Comunidade no Telegram
Grupo no Facebook (Pais e cuidadores) 
- Grupo no Whats (pais e cuidadores) 
    acesso via grupo do Facebook

________________________________________________________________
Mapa do blog
Laringomalácia
👉 Dúvidas?!
👉 Quem somos Como podemos ajudar você
👉 Profissionais que recomendamos:
- Pediatras, Gastropediatras & Cia

👉 Sugestões de perguntas:

👉 Tutoriais:
Como dar medicação para seu bebê
Como fazer a limpeza nasal no bebê

👉 Iniciativas que apoiamos:
CureTBM (em inglês)

ONG Amada Helena

👉 Grupos que gostamos:
- Tracheobronchomalacia Support Group

👉 Sites que recomendamos:

Dr Vitor Chen 
- Dr Malucelli
Boston Children´s Hospital (em inglês)
Google Tradutor 

👉 Links Úteis:
________________________________________________________________
Contato 📧
Carol Vitola - (51) 99304-2159
[email protected]


Todo conteúdo que disponibilizamos é meramente informativo. O diagnóstico e a condução do tratamento só devem ser feitos pelo seu médico. Textos e comentários não substituem a consulta médica. Cada caso é um caso e requer atenção médica individualizada. Se você acha que o bebê está com problemas para respirar, chame o SAMU ou procure o pronto atendimento.

Publicado 24/02/2018
Atualizado em 15/10/2021

Cauã: tudo vai dar certo

Hoje resolvi falar um pouquinho, após alguns meses do nascimento do meu filho caçula, Cauã. Tão delicadinho, meigo, atento e esperto. Veio num momento difícil, em meio a pandemia. Mas ele sempre esteve cercado de muito amor e carinho. Ao nascer, escutamos um barulho constante, angustiante e preocupante. Os médicos diziam ser resto do parto e que logo passaria. Mas isso não aconteceu. O barulho aumentou e seguia acompanhado de engasgos e vômitos. Começamos uma saga em busca de respostas. Muitos médicos não estavam atendendo até então, por causa da pandemia. 

Depois que ele teve uma crise no consultório médico, a médica logo falou que poderia ser laringomalácia. Mas precisava dos exames para confirmação. Por fim, conseguimos a consulta e tivemos o diagnóstico de laringotraqueomalácia. A laringomalácia é malformação congênita na laringe e, entre outros sintomas, provoca um  estridor constante (e angustiante) que é característico da laringomalácia. Fizemos um exame de vídeo, onde se confirmou o diagnóstico. Ele tinha laringomalácia moderada, sem necessidade de cirurgia graças a Deus.

Sim, sou mãe de uma criança com laringomalácia, que requer cuidados e atenção constante. Junto com a laringomalácia, tem o refluxo que se apresenta forte. O seu irmãozinho, Cainã, já sabe da condição do Cauã e dos cuidados com ele. Seu carinho, afeto e amor com o bebê são incríveis. É lindo de se ver. Me deixa muito orgulhosa! E meus pais me ajudam muito cuidado do Cauã. 

Infelizmente muitos profissionais no Brasil sabem muito pouco sobre essa condição. Numa noite ele engasgou feio. Não gosto nem de lembrar. Lidar com tantas dúvidas, questionamentos e angústias não é fácil. Muitos profissionais dizem que é só ter calma que vai passar. Seguimos observando, numa angústia que parece não ter fim. Uma angústia que só quem vive com laringomalácia sabe como é. Só quem vive com laringomalácia sabe os medos que passamos, conhece os engasgos que deixam a gente sem chão. Mas, ao mesmo, tempo sinto que toda essa experiência nos fortalece.

Seguimos com fé em Deus que tudo vai dar certo e a cura virá para o Cauã e para muitas outras crianças que tem laringomalácia ❤️

By mamãe Débora

Vivendo com Laringomalácia

Vivendo com LaringomaláciaVivendo com Laringomalácia

Todo conteúdo que disponibilizamos é meramente informativo. O diagnóstico e a condução do tratamento só devem ser feitos pelo seu médico. Textos e comentários não substituem a consulta médica. Cada caso é um caso e requer atenção médica individualizada. Se você acha que o bebê está com problemas para respirar, chame o SAMU ou procure o pronto atendimento.

Publicado em 28/06/2022